Como distribuir o tempo de estudo

Um desafio para o concurseiro é distribuir racionalmente o tempo de estudo entre as disciplinas a serem estudadas. Normalmente, a nossa tendência é eleger algumas disciplinas como prediletas. Muitos caem nessa cilada. Porém, ter um conhecimento um tanto quanto superficial de todas as disciplinas é melhor que conhecer a fundo apenas algumas delas. Em concursos, é melhor ser abrangente como um oceano e raso como uma piscina que ser profundo como o oceano e não abrangente como uma piscina. Avançando na preparação e dependendo do nível de dificuldade do concurso, o concurseiro sentirá a necessidade de aprofundar os conhecimentos. Mas isso deve ocorrer numa segunda fase de estudos. No início, é melhor ter uma visão geral que não ter visão alguma sobre algumas disciplinas ou tópicos.

O tempo é o recurso mais precioso que nós temos à disposição. Não o considero um recurso escasso. Temos tempo bastante para fazer muitas coisas. É claro que precisamos eleger prioridades. Não dá para fazer ou ser tudo ao mesmo tempo. Porém, por mais dedicada que seja e por mais prioridade que dê aos estudos, há um limite de horas de estudo diário efetivo que a pessoa consegue atingir. Obviamente, esse limite varia de pessoa para pessoa. Leva vantagem quem consegue utilizar melhor o tempo.

Desde quando iniciei os meus estudos, em meados da década de 90, desenvolvi a prática de controlar meu tempo de estudo de acordo com os pesos das disciplinas previstas no edital e, também, de acordo com o conhecimento que eu julgo ter de cada uma das disciplinas. Eu costumo utilizar uma planilha para fazer a distribuição do tempo. A ponderação leva em conta as seguintes variáveis: o tempo de estudo diário que terei à disposição; o número de dias que pretendo estudar por semana; a quantidade de questões e o peso de cada disciplina; o conhecimento das disciplinas, de acordo com resultados anteriores ou simulados. Posso enviar a planilha por email a quem desejar utilizá-la. Meu email é o O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

São dois os princípios utilizados pela planilha para distribuir o tempo. Em primeiro lugar, quanto maior o peso da disciplina no concurso, mais tempo deve-se gastar com ela. Em segundo lugar, a prioridade de estudo deve recair sobre aquilo que o candidato conhece menos. A ponderação destes princípios é que fornecerá o tempo ideal de estudo. Mesmo que você não queira utilizar a planilha para fazer um controle rigoroso do tempo, preste bastante atenção nesses princípios e tente aplicá-los de alguma forma no seu método de estudo.

É possível dividir a preparação para um concurso em três momentos: longo prazo (período anterior a 1 ano ou 6 meses de antecedência da data estimada do concurso), médio prazo (entre 1 ano ou 6 meses de antecedência e a publicação do edital, curto prazo (entre a publicação do edital e a realização da prova). Para citar um exemplo, logo após a realização do concurso do Senado que ocorreu em 2008 surgiram rumores de que em breve haveria outro concurso (o natural é que os órgãos façam concursos periodicamente). Assim, estava inaugurado o longo prazo. Recentemente, em nota oficial o Senado informou que o edital sairá em setembro. Podemos dizer que hoje (28/07/2011) estamos, sem dúvida, no transcurso do médio prazo. A partir da publicação do edital, ingressaremos no curto prazo. Quando as pessoas disserem “um dia esse concurso sai”, estaremos no longo prazo. Quando várias fontes diferentes disserem que o concurso é iminente ou quando já tiver sido autorizado, estaremos no médio prazo.

O controle rigoroso das horas de estudo no longo prazo talvez não seja muito interessante. No médio prazo, já vale à pena intensificar os estudos e fazer um controle do tempo, utilizando como parâmetro o edital do último concurso realizado pelo órgão. No curto prazo, é essencial que se controle o tempo, mas já utilizando as informações do edital publicado. Para isso é preciso confiar na estratégia e ter uma certa frieza para não deixar o coração se inclinar por uma disciplina específica ou algumas em detrimento das outras. O aproveitamento do tempo disponível no curto prazo é que definirá aqueles que se classificarão nas melhores posições.

Gosto de marcar as horas estudadas em quadradinhos separados por disciplina. É importante ser rigoroso no controle das horas. Se você for à biblioteca estudar e lá permanecer das 14h às 18h, mas dormir 30 minutos, fizer um lanche em 15 minutos e utilizar o banheiro por mais 15 minutos, o tempo de estudo líquido a ser contabilizado deverá ser de apenas 3 horas e não 4 horas.

Espero que sejam úteis as dicas. Em caso de dúvidas quanto ao método proposto, estou à disposição noemail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

ANDACON - Associação Nacional dos Concurseiros - 2017
andacon.concurseiros@gmail.com